Usar um CAD-CAM correto para este fabricante de moldes de sopro, o software correto proporcionou economia de tempo, ganhos de produtividade e comunicação otimizada com o cliente.

A Sable Engineering de Port Huron, de Michigan, começou em 1999 no campo da medicina quando um ortopedista pediu ao proprietário Andreas Batz, para comprar o equipamento certo e produzir sua própria linha de dispositivos médicos.

Com o tempo, a demanda do mercado empurrou a Sable Engineering para a indústria automotiva.

Os primeiros trabalhos envolveram o uso de CMM e dados de fluxo de moldes para fazer a reversão e a engenharia reversa de 30 a 40% de peças para vidro.

Hoje, a maioria dos trabalhos desta empresa com certificação ISO 9001: 2008 é focada em protótipos e produção de moldes de sopro, fixação e projeto de produtos.

Com esta transição para a indústria automotiva vieram novos desafios. Os projetos tornaram-se mais complexos e os trabalhos de montagem mais frequentes.

O software que a Sable Engineering estava usando não estava à altura da tarefa.

“Um dos meus melhores clientes me aconselhou a obter um software que pudesse lidar melhor com grandes montagens”, diz Batz. “Foi quando percebi que precisava do Cimatron.”

Fazendo trabalhos complexos mais Fácil

Trabalhando longas horas para fazer o trabalho e entregar exatamente o que foi prometido ajudou a empresa a construir uma base de clientes fiéis de fornecedores automotivos.

De acordo com Batz, antes de a Sable Engineering começar a usar o Cimatron, muito tempo foi gasto em trabalho de projeto intensivo.

Incluindo redesenho de componentes padrão no software CAD 3D anterior da empresa, que resultou em projetos demorados e margens de lucro corroídas.

“Mudar para a Cimatron foi rápido e fácil para os meus projetistas”, diz Batz.
“O software dá ao projetista um grande nível de liberdade para ir e voltar entre sólidos e superfícies, facilitando trabalhos complexos.

Quando precisamos de ajuda, a equipe da Cimatron tem sido extremamente receptiva e seu conhecimento de ferramentas é inigualável ”.

De acordo com Batz, a Sable Engineering agora pode economizar muito tempo usando peças e montagens de catálogos e, com apenas alguns cliques no final do projeto, pode gerar a lista completa de materiais (B.O.M.) .

“No geral, podemos agora fazer as coisas cinco vezes mais rápido em comparação com o que fizemos antes de usar o Cimatron”, diz Batz.

Ganhando mais negócios

Batz percebe valor em sua compra do software Cimatron todos os dias. “Completar projetos de moldes complexos mais rapidamente sem diminuir nossas margens é algo que não teríamos conseguido se não fosse pela Cimatron”, diz ele.

Assim, Cimatron permite que vários projetistas trabalhem em um projeto, acelerando drasticamente o tempo de entrega. Além disso, Batz diz que quase todos os componentes que os projetistas adicionam ao trabalho geram seu próprio alojamento.

E o Cimatron cria o furo/rosca e depois o atualiza automaticamente se esse componente for movido.

Portanto economia de tempo e ganhos de produtividade não são os únicos benefícios do software que Batz e sua equipe valorizam; é também a comunicação e colaboração otimizadas com o cliente. Batz considera esses recursos especialmente úteis ao lidar com alterações de projeto e engenharia.

Lidar com modificações de forma rápida e eficaz é fundamental para manter os projetos dentro do prazo e do orçamento”, diz ele.
“A maioria dos nossos clientes usa o Cimatron, o que torna a comunicação e as mudanças muito mais simples. Se o cliente precisar modificar algo rapidamente, ele poderá fazê-lo de maneira perfeita. Independentemente de quem faz as alterações, esse software nos permite implementá-las sem problemas, porque tudo é associativo ”.

Assumir mais

Concluindo, o trabalho adicional foi outro benefício da mudança da Sable Engineering para a Cimatron.

“Recentemente, recebemos um trabalho terceirizado de uma grande empresa de estampagem progressiva, que não está usando a Cimatron e precisava de assistência com o trabalho em superfícies“, diz Batz.

“Embora os projetos estivessem corretos, o software que eles estavam usando criou superfícies ruins, mesmo depois de passar mais de 45 horas trabalhando na peça.

Com o Cimatron, conseguimos ajudá-los a realizar o trabalho em questão de horas. Eles foram capazes de entregar o projeto no prazo e, mais importante, para a completa satisfação do cliente. ”

Gerente Industrial de Produção, Usinagem ou de Ferramentaria: O que faz, quanto ganha, como contratar e mais

Neste artigo vamos explorar sobre a profissão de Gerente Industrial de Produção, de Usinagem ou de Ferramentaria.

Este é um dos maiores postos de trabalho dentro de uma Indústria, pois tem grandes responsabilidades. Em contrapartida, é uma função que possui um dos maiores salários do setor industrial em média. Coordena as pessoas e os recursos visando aumento da qualidade e produtividade. Também melhora na segurança e meio ambiente. Incentiva e motiva colaboradores, desenvolve formas de melhoria contínua para otimizar processos e reduzir desperdício de recursos. Sendo seu objetivo a produção com alta qualidade atendendo as necessidades dos clientes internos e externo.

São diversos os setores da indústria que o Gerente Industrial atua, dessa forma, quanto mais ele se especializa mais chances tem de se manter ativo no mercado brasileiro atual.

O QUE FAZ UM GERENTE INDUSTRIAL?

Um Gerente Industrial de Produção, de Usinagem ou de Ferramentaria gerencia o plano de produção.

Ele examina e divide as ordens de produção (conhecidas como OP’s), conforme os maquinários e as datas que estão a disposição, a fim de reduzir os tempos de Setup com o ajuste de itens que usam a mesma bitola.

Dessa forma, pode indicar as prioridades e ficando a par do abastecimento de ferramental e insumos para potencializar o processo produtivo, levando a redução do lead-time.

Manter ativa sua participação quanto aos níveis de entrega do faturamento.

Usa reuniões periódicas para acompanhar o desenvolvimento de itens com maior criticidade, acompanhando se a meta de faturamento está sendo encaminhada pela produção.

Ligado ao objetivo de aumentar performance de faturamento nas entregas.

Entender do gerenciamento de pessoas, pois fica responsável pelo controle de férias e salários, acompanhamento do desenvolvimento dos colaboradores sob sua responsabilidade, manter os empregados motivados ao trabalho estando de acordo com as legislações vigentes.

Gerenciar as contas da planta fabril que é responsável, usando da análise de indicadores do setor financeiro, usar planos de ação para evitar desperdícios e aumentar a competitividade no mercado, consequentemente elevando o lucro.

Administrar equipamentos e maquinários, com auxílio de indicadores de desempenho.

Buscar aplicar melhorias para aumentar a eficiência do equipamento.

Aplicar ferramentas de gestão e qualidade no ambiente de trabalho, como: VSM, 5S, Setup Rápido, Fluxo contínuo, Mudança de layout, e demais formas que surgem e se mostram eficientes em seus propósitos.

COMO SE TORNAR UM GERENTE INDUSTRIAL

Para se tornar um Gerente Industrial de Produção, de Usinagem ou de Ferramentaria não é um caminho muito simples de seguir, pois se trata de um dos cargos mais altos dentro das empresas. Chegar a este posto exige formação em curso superior e pós-graduação.

Além disso é necessário, no mínimo, 9 anos de experiência nos cargos abaixo, como Desenhista Projetista, Mecânico de Manutenção, Programador de CAD/CAM, Ferramenteiro de Moldes, Projetista de Moldes, Orçamentista entre outros), além de conhecer mais de um de todos estes setores que podem existir dentro de uma empresa.

Para entender este caminho, foram separados 6 passos de como conseguir ser um bom Gerente Industrial de Produção, de Usinagem ou de Ferramentaria. São eles:

1. Ter experiência em vários setores produtivos

Para alcançar um dos maiores cargos da indústria é essencial ter vasto conhecimento prático produtivo.

Ou seja, ele deve entender desenhos técnicos, saber como funcionam as manutenções das máquinas e a sua importância, conhecer sobre os setups da produção, saber usar softwares CAD/CAM para auxílio da produção e uma das partes mais necessárias é saber lidar com os profissionais de todos os setores que irá gerir.

2. Fazer curso técnico e posteriormente graduação

Para chegar a este posto é necessário ter curso superior.

Apesar de existirem muitos Gerentes Industriais apenas com curso técnico, o mercado tem se tornado mais exigente a cada dia.

Cursos técnicos de mecânica, ferramentaria ou demais áreas industriais oferece excelente conteúdo e insere o profissional na indústria para que comece a trilhar o caminho para se tornar gerente, conseguindo acumular a experiência necessária no “chão de fábrica”.

Após esta etapa é interessante realizar a graduação em alguma engenharia voltada a indústria (mecânica, produção, elétrica, automação, mecatrônica e demais) para que possa ganhar visibilidade dentro da empresa.

3. Aprenda sobre o funcionamento de todos os setores da indústria

Para ser um bom Gerente Industrial, o mínimo que se espera é que ele entenda todos os setores que existem no meio do processo produtivo, desde o setor de manutenção à ferramentaria e operadores de máquinas.

Isso te dará vantagem competitiva pelo cargo e trará melhores experiências, auxiliando nas tomadas de decisões, quando necessário.

4. Aprenda sobre gestão empresarial, gestão de pessoas e liderança

Esses pontos trarão para você crescimento pessoal e maior assertividade quando for necessário tomar decisões difíceis. Saber resolver conflitos entre colaboradores, mostrar-se solidário e presente como líder. Criar um ambiente de trabalho com bom relacionamento entre os empregados e líderes traz melhores resultados produtivos.

5. Converse com todos os setores

Ter um bom relacionamento com todos os setores da empresa (administrativo, recursos humanos, engenharia, projetos, compras, suprimentos, terceiros, entre outros) procurando facilidade na hora de conversas e melhorando o relacionamento entre todas as partes.

Um grande desafio para o Gerente Industrial, mas que quando bem executado oferece agilidade para aquisição de insumos, pessoas e máquinas.

QUANTO GANHA UM GERENTE INDUSTRIAL?

O profissional que atua como Gerente Industrial de Produção, de Usinagem ou de Ferramentaria tem em média um salário de R$ 5.246,07 no mercado de trabalho brasileiro, com uma jornada de trabalho de 44 horas semanais.

Com um piso salarial médio de R$ 3.852,51 (em 2019), e o teto salarial médio de R$ 8.200,04.

Levando em consideração apenas os profissionais em regime CLT com carteira de trabalho assinada.

A idade média destes profissionais é de 37 anos, com ensino superior completo e do sexo masculino. Trabalham cerca de 44 horas semanais.

Essa classe profissional também é dividida em Gerente Industrial Junior, Pleno e Sênior. Para se alcançar essas classes é necessário:

  • Junior: até 4 anos de experiência com salários de até R$ 4.851,42
  • Pleno: de 4 a 6 anos de experiência com salários que podem alcançar até R$ 6.152,77
  • Sênior: 7 anos ou mais de experiência com salários que superam R$ 8.390,71

QUAIS EMPRESAS POSSO TRABALHAR COMO GERENTE INDUSTRIAL?

Saber os locais que pode buscar trabalho e as tendências de mercado leva o profissional a entender melhor os nichos que procura para se estabilizar, criando especialização nas áreas que tem interesse.

São vários setores da indústria que necessitam de Gerente Industrial de Produção, de Usinagem ou de Ferramentaria.

Grandes empresas precisam constantemente de tais profissionais para gerenciar as plantas fabris, bem como, aperfeiçoar e melhorar as ordens de produção.

Indústrias como Bunge, Eurofarma, Adhetech, Supremo Cimento, JBS, Delta Frio, Venosan Brasil, Cavenaghi, FMB Estruturas Metálicas, Seara, Duratex, Continental Automotive, Fiat Chrysler Automobiles (FCA), Cassol Pré-Fabricados, Embraco, Instrumentação Industrial Digitro, Demuth Machines, Allianz, Alstom Brasil, Tigre, Dudalina, Marfrig, Tower Automotive, entre outros.

COMO CONTRATAR UM GERENTE INDUSTRIAL

Contratar um profissional dessa importância para a empresa não é uma tarefa simples, pois colocar alguém novo na empresa para coordenar todo o processo produtivo não soa como a melhor das escolhas.

Por isso que muitas indústrias optam por promover alguém do seu quadro de funcionários que tenha se destacado e já tenha o conhecimento necessário do funcionamento da empresa.

Claro que ainda existem as que optam por contratar pessoas já experientes no cargo e escolhem fazer uma seleção externa.

Para contratar um profissional desta área existem várias formas, porém iremos citar as 2 principais.

1. Contratar uma empresa de Recursos Humanos

Um caminho muito comum para se contratar profissionais de várias áreas, e para desenhistas projetistas de ferramental não seria diferente.

Neste caso é interessante saber se a empresa contratada tem um bom banco de dados dos currículos de profissionais desta área.

 

2. Usar sites de empregos

Atualmente é um meio muito usado pela facilidade oferecida da forma de contrato desses sites.

Possuem valores baixos para utilizar os serviços dos mesmos, contendo assim um ótimo custo x benefício para médias e pequenas empresas.

Principalmente aquelas que geralmente não possuem um setor de RH que consiga fazer a gestão dos funcionários e a coleta de currículos.

Uma vez que quando são usados sites, a maioria deles só faz a coleta dos currículos e encaminha para a empresa fazer a seleção.

Quando se contrata uma empresa de RH, é feita uma pré-seleção e os candidatos com o perfil que mais se encaixam a vaga são encaminhados para uma entrevista.

GERENTE INDUSTRIAL DE PRODUÇÃO, DE USINAGEM OU DE FERRAMENTARIA

A parte Gerencial da Indústria é um cargo muito cobiçado. Por outro lado, exige muita atenção a detalhes e domínio de várias áreas da indústria.

Saber resolver conflitos, ser capaz de definir a ordem de produção. Alinhar junto da manutenção os dias de parada dos maquinários CNC.

Gerir o “chão de fábrica” buscando aumentar o lucro através de boas práticas. Reuniões diárias e/ou semanais para serem repassados os índices de produção e da qualidade dos produtos.

Saber sobre paradas inesperadas, buscando ordenar as informações da produção.

"Produção Livre de Erros tornou-se uma realidade para GIRA graças a solução automatizada para eletrodos Cimatron." Gerhard Gebauer, Gerente dos Processos de Plásticos e de Construção de Molde.

O Desafio

  • Projetar eletrodos complexos;
  • Competir efetivamente com outras fábricas de moldes por meio da redução de custos e tempo de entrega associados com cotação, projeto do molde e programação NC.
  • Melhor controle sobre processos específicos.
  • Habilidade de automatizar tarefas repetitivas.

As Soluções

Apresentando tecnologia surface e sólida em um híbrido fácil de usar mesmo ambiente.

A solução de eletrodo autônomo da Cimatron é um pacote de software exclusivo que gerencia todo o processo desde o projeto até a fabricação, enquanto elimina a necessidade de empregar outro software.
Com base no aplicativo Quick Electrode da Cimatron, líder da indústria ferramenteira, o pacote inclui todos as ferramentas necessárias para definir a área de queima de eletroerosão EDM CNC, extraindo a forma do eletrodo, documentação e usinagem, todos otimizados para eletrodos. Selecionando cuidadosamente todos os ferramentas necessárias, excluindo outros recursos CAD / CAM não essenciais, a Cimatron é capaz de oferecer a solução mais econômica e completa para qualquer projeto de eletrodo e necessidade de fabricação.
“A solução de eletrodo autônomo foi desenvolvida em resposta aos nossos muitos clientes que nos abordaram sobre o desenvolvimento de um pacote mais econômico de todas as funções necessárias para projetar e fabricar eletrodos, sem outra funcionalidade CAD / CAM não essencial ” disse Danny Harran, presidente e CEO da Cimatron. “O resultado é uma aplicação independente em um preço muito competitivo, que oferece tudo o que é necessário para o projeto de eletrodos e fabricação, eliminando a necessidade de mudar o software no meio do processo. ”
“Eletrodos e peças de trabalho são carregados automaticamente dia e noite, e nossas máquinas EDM são usadas 7.200 horas por ano ”, explicou o cliente da Cimatron, Nico Van Wijnen, da Van Wijnen Mold, Holanda. "Nós não podemos fabricar eletrodos de qualidade tão rápido sem o Cimatron com a Solução de eletrodo. ”
A solução de eletrodos está disponível em duas configurações: 'Electrode Solution', que abrange o processo completo de projetar e documentar (desenhar) eletrodos; e ‘Electrode Pro Solution', que adiciona fresamento e simulação de 2 e 3 eixos para eletrodos.

Os Resultados

  • Melhor custo e melhor eficiência de tempo resultante da integração de todas partes do projeto e produção pelo Cimatron.
  • Projetos melhorados e melhor rendimento do tempo alcançados com as poderosas automações no Solução Automatizada Eletrodos do Cimatron.
  • Automação geral de tarefas, porém com a flexibilidade de mudar para um processo manual em necessidades sob medida.

Gira foi fundada em 1905 como uma produtora de interruptores elétricos e outros produtos para instalação elétrica doméstica. Hoje, a empresa possui mais de 900 funcionários, produzindo uma larga gama de produtos elétricos para sistemas de construção e para casas. Os produtos, os quais visam ter uma boa eficiência energética e refletem modernos designers populares, ganharam muitos prêmios pelo seu design e inovação.

Indústria: Elétrica para sistema de construções e produtos domésticos.

Localização: Radevormwald, Alemanha.

WebSite: http://www.gira.de

Rua Prof. Altamir Gonçalves, 87
Jardim Gonçalves – Sorocaba/SP
CEP 18016-480
Horário: de segunda à sexta, das 8h às 12 e das 13h às 17h, exceto feriados.
© 2021 Fit Tecnologia. Todos os direitos reservados.
crosschevron-down